“Eu sou você amanhã!”

Toda vez que entra uma menina nova na nossa liga, a dúvida é sempre a mesma: será que ela vai se apaixonar pelo nosso esporte? Será que vai deixar de sair às sextas e sábados porque tem treinos na sexta à noite e domingo logo cedo de manhã? Vai parar de fumar porque entende que atrapalha sua performance? Será que vai entender que roller derby é muito mais do que meninas andando de patins, rindo alto e que tem aquela imagem (que a nossa liga odeia) de “maquiagem, meia arrastão e visual meio pinup”? Ela vai se comprometer a reuniões de comitês, pagar a mensalidade em dia, entender que é auto-gestão e que ninguém é chefe de ninguém, mas que, ao mesmo tempo, há sim uma hierarquia? Que o esporte é sério e exige comprometimento, suor e esforço?

São tantas dúvidas e, quando chega uma menina pela primeira vez em um treino, todas as meninas que estão há mais tempo pensam nisso também, ao mesmo tempo em que pensam como podemos agradar e envolver essas meninas no esporte mais irado do mundo, pra que elas se envolvam de verdade com a nossa liga, virem uma Rebel e fiquem com a gente tipo num casamento, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza.

Para as carninhas: a gente precisa de você. Muito. Mas muito. Em um esporte que ainda está crescendo no Brasil, que ainda não é totalmente estruturado e ainda estamos formando times, ninguém é peça mais importante do que você, que resolveu encarar esse desafio, investir uma grana em patins e equipamento e aparecer num treino, muitas vezes sem conhecer ninguém e, mais vezes ainda, sem saber patinar. Não tem quem a gente respeite mais do que vocês. E vamos estar ao lado de vocês, segurando suas mãos, torcendo e achando animal quando vocês estão quase cruzando.

Carninhas e Veteranas da liga de roller derby mais forte do Brasil

Carninhas e Vets no treino

Para as vets: a gente nunca sabe qual carninha será a nossa próxima estrela. Qual vai ser aquela que vai botar o patins, sair patinando lindamente, cruzando e ainda parando fazendo um tomahawk ou hockey stop um pouco envergonhado. E ela vai olhar pras vets e achar que pode não estar fazendo nada direito, ter vergonha de pedir ajuda e perguntar alguma coisa achando que é besteira, mas pode ter certeza que elas estão lá tentando achar um jeito de se aproximar, pedir dicas e observando você patinar, pensando que um dia querem fazer igual (e a gente sabe que, muitas vezes, farão até melhor!). A verdade é que as vets viram referência, e o motivo é simples: elas são as primeiras pessoas que as novatas vêem com patins no pé. A gente sabe, ninguém aqui é referência pra ninguém, e aí que entra uma novidade pras vets: ser esta referência. Oi?

Abaixo, seguem algumas dicas da Mary Khaos, que escreveu sobre o assunto para o site Derbylife.

Um recado para as Vets: você nunca achou que ia virar uma estrela, né?

Adivinha. Você virou! Mesmo que você tenha acabado de passar o teste de habilidades mínimas, contanto que você patine na pista com o resto do time, as fresh meat irão te ver como uma mentora. Elas prestam atenção na sua derby stance, tentam copiar sua passada e querem saber como seus quadris conseguem tirar alguém da pista de uma só vez. Leve algumas coisas em consideração: elas irão prestar atenção no seu comportamento, seja ele bom ou ruim. Elas prestam atenção em como você trata suas colegas do time, o seu coach e você mesma. Lidere através de exemplo. Uma vet já te ajudou com seu plow stop quando você começou? Passe adiante. Um ato deste tipo pode incentivar uma patinadora bebê pelo resto de sua carreira, e manterá seu time competitivo e saudável.

Um recado para as Carninhas: sério, as Vets não irão te devorar!

Não é porque você patina há duas semanas e ela patina há bem mais tempo que ela ficará de saco cheio ao responder suas perguntas. Na verdade, vai ser difícil fazer ela parar de falar. Se você faz perguntas e está tentando melhorar, esta vet verá potencial em você e vai saber que você está se dedicando ao esporte, tanto quanto ela. Talvez da próxima vez ela vá responder uma pergunta que você ainda nem tenha pensado em fazer!

Carninhas e Vets da liga de roller derby mais forte do Brasil

Carninhas que viraram vets: após a avaliação de habilidades mínimas

Por isso, se você está interessada no esporte, mas acha que ninguém vai te acolher, pense de novo. A maioria das meninas que está hoje na liga não sabia patinar, e nunca havia colocado um patins quad no pé! Estamos todas prontas para te receber e te ajudar, e fazer você se encontrar nesse esporte, assim como a gente já se encontrou. É só aparecer! 😉