Rebel Tips!

Desde que começamos a treinar patinação, desde que evoluímos para os fundamentos do roller derby, desde que evoluímos mais ainda para estratégias e depois para mini jogos durante os treinos, pudemos observar algumas coisas em nós mesmas e em nossas patinadoras.  Então, decidimos fazer um post sobre isso, para compartilhar experiências e ajudar quem estiver meio “blé” com a patinação e auto-confiança.

Sempre diga “sim”

Esse é o primeiro mandamento dos nossos treinos. Por mais insegura que você estiver, sempre diga “sim” ao que seu/sua coach te pedir. Eles têm um motivo e buscam a melhoria da sua patinação, das suas habilidades roller dérbicas e, acima de tudo, isso significa que ele confia em você.

O roller derby é um esporte que te tira da zona de conforto e faz você ser desafiada a cada treino.

Na hora de um jogo, seu time precisará que você confie em você mesma. Se o seu time conta com você e confia em você, elas estão te dando “crédito”. E dizer “não” é dizer às suas companheiras, mesmo que nas entrelinhas, que elas não podem confiar em você.

 Não invente desculpas

Durante o treino você tem 100% de responsabilidade sobre suas ações. Não invente desculpas; se seu coach falar que você não está totalmente presente no treino e pode fazer melhor, a última coisa que ele quer ouvir é “desculpa, é que… …. … e também … …” . Leve em consideração o que lhe foi dito, pois o coach te conhece (e sabe) que você é capaz de fazer melhor.

Também não invente desculpas para você. A gente sabe que muitas vezes rolam aqueles pensamentos do tipo: “não tô conseguindo fazer os drills direito hoje porque estou cansada/ não comi bem antes de vir pra cá/ peguei muito trânsito/ não gosto da minha dupla…”. Esse tipo de pensamento lhe dá permissão para não dar o melhor de si na pista, para se contentar com os 50%, com o 5,0 pra passar na média.

Se você está cansada ao ponto de não dar para treinar, fique em casa. Se você for ao treino, você está lá para treinar, então dê o máximo de si mesma! 😉

Se comparar aos outros é uma péssima ideia

Se comparar a uma pessoa é algo muito perigoso e faz você duvidar de suas capacidades, desvalorizar o que faz (e como faz), além de abrir uma janela enorme para a inveja. Quando você se compara a outras pessoas, o seu julgamento fica meio destorcido e você não consegue perceber o quanto evoluiu, pois o seu foco está em outra pessoa, não em você mesma.

Se sentir desvalorizada não pode ser a sua cara. As suas habilidades com o patins (e suas teammates) são as únicas coisas em que você pode confiar na pista. Você pode estar progredindo horrores, mas porque você está cega e prestando atenção em sua “adversária”, você não consegue perceber o seu próprio progresso.

Pense sempre em se auto-avaliar depois de cada treino: você consegue fazer X melhor do que ontem? E melhor do que da primeira vez que você tentou? Se você percebe diferença, é sinal que está melhorando!

Essas foram algumas coisas que pudemos observar durante nosso (pouco) tempo de roller derby. Fazer um esporte como este não é fácil, e exige muito de nós fisica e psicologicamente. É preciso estar preparada para enfrentar desafios e saber que ninguém no seu time está lá para te destruir e deixar para baixo, e sim que depende de você encarar aquela teammate que você vê como “aparecida” e melhor que você como um desafio para que você sempre se supere e evolua a cada treino. E você, tem alguma dica pra gente? 😉

 

Se você tiver alguma dica para deixar por aqui, os comentários são sempre muito bem-vindos!

Advertisements

“Eu sou você amanhã!”

Toda vez que entra uma menina nova na nossa liga, a dúvida é sempre a mesma: será que ela vai se apaixonar pelo nosso esporte? Será que vai deixar de sair às sextas e sábados porque tem treinos na sexta à noite e domingo logo cedo de manhã? Vai parar de fumar porque entende que atrapalha sua performance? Será que vai entender que roller derby é muito mais do que meninas andando de patins, rindo alto e que tem aquela imagem (que a nossa liga odeia) de “maquiagem, meia arrastão e visual meio pinup”? Ela vai se comprometer a reuniões de comitês, pagar a mensalidade em dia, entender que é auto-gestão e que ninguém é chefe de ninguém, mas que, ao mesmo tempo, há sim uma hierarquia? Que o esporte é sério e exige comprometimento, suor e esforço?

São tantas dúvidas e, quando chega uma menina pela primeira vez em um treino, todas as meninas que estão há mais tempo pensam nisso também, ao mesmo tempo em que pensam como podemos agradar e envolver essas meninas no esporte mais irado do mundo, pra que elas se envolvam de verdade com a nossa liga, virem uma Rebel e fiquem com a gente tipo num casamento, na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza.

Para as carninhas: a gente precisa de você. Muito. Mas muito. Em um esporte que ainda está crescendo no Brasil, que ainda não é totalmente estruturado e ainda estamos formando times, ninguém é peça mais importante do que você, que resolveu encarar esse desafio, investir uma grana em patins e equipamento e aparecer num treino, muitas vezes sem conhecer ninguém e, mais vezes ainda, sem saber patinar. Não tem quem a gente respeite mais do que vocês. E vamos estar ao lado de vocês, segurando suas mãos, torcendo e achando animal quando vocês estão quase cruzando.

Carninhas e Veteranas da liga de roller derby mais forte do Brasil

Carninhas e Vets no treino

Para as vets: a gente nunca sabe qual carninha será a nossa próxima estrela. Qual vai ser aquela que vai botar o patins, sair patinando lindamente, cruzando e ainda parando fazendo um tomahawk ou hockey stop um pouco envergonhado. E ela vai olhar pras vets e achar que pode não estar fazendo nada direito, ter vergonha de pedir ajuda e perguntar alguma coisa achando que é besteira, mas pode ter certeza que elas estão lá tentando achar um jeito de se aproximar, pedir dicas e observando você patinar, pensando que um dia querem fazer igual (e a gente sabe que, muitas vezes, farão até melhor!). A verdade é que as vets viram referência, e o motivo é simples: elas são as primeiras pessoas que as novatas vêem com patins no pé. A gente sabe, ninguém aqui é referência pra ninguém, e aí que entra uma novidade pras vets: ser esta referência. Oi?

Abaixo, seguem algumas dicas da Mary Khaos, que escreveu sobre o assunto para o site Derbylife.

Um recado para as Vets: você nunca achou que ia virar uma estrela, né?

Adivinha. Você virou! Mesmo que você tenha acabado de passar o teste de habilidades mínimas, contanto que você patine na pista com o resto do time, as fresh meat irão te ver como uma mentora. Elas prestam atenção na sua derby stance, tentam copiar sua passada e querem saber como seus quadris conseguem tirar alguém da pista de uma só vez. Leve algumas coisas em consideração: elas irão prestar atenção no seu comportamento, seja ele bom ou ruim. Elas prestam atenção em como você trata suas colegas do time, o seu coach e você mesma. Lidere através de exemplo. Uma vet já te ajudou com seu plow stop quando você começou? Passe adiante. Um ato deste tipo pode incentivar uma patinadora bebê pelo resto de sua carreira, e manterá seu time competitivo e saudável.

Um recado para as Carninhas: sério, as Vets não irão te devorar!

Não é porque você patina há duas semanas e ela patina há bem mais tempo que ela ficará de saco cheio ao responder suas perguntas. Na verdade, vai ser difícil fazer ela parar de falar. Se você faz perguntas e está tentando melhorar, esta vet verá potencial em você e vai saber que você está se dedicando ao esporte, tanto quanto ela. Talvez da próxima vez ela vá responder uma pergunta que você ainda nem tenha pensado em fazer!

Carninhas e Vets da liga de roller derby mais forte do Brasil

Carninhas que viraram vets: após a avaliação de habilidades mínimas

Por isso, se você está interessada no esporte, mas acha que ninguém vai te acolher, pense de novo. A maioria das meninas que está hoje na liga não sabia patinar, e nunca havia colocado um patins quad no pé! Estamos todas prontas para te receber e te ajudar, e fazer você se encontrar nesse esporte, assim como a gente já se encontrou. É só aparecer! 😉

WFTDA Big 5 – The Championship!

Começaram ontem em Denver, no Colorado, as finais do campeonato de 2011 da WFTDA! Como vocês sabem, a WFTDA é a associação que cuida da categoria de flat track de roller derby no mundo todo, e todo ano eles promovem um campeonato que começa com os jogos das regionais (ligas competindo por região: leste, oeste, centro-sul e norte-sul) pra escolher as melhores de cada área que competirão pelo campeonato!

Os jogos começaram ontem e estão incríveis! O campeonato vai de sexta (ontem, 11 de novembro) à domingo (13 de novembro), com vários jogos durante o dia todo. Ontem foram 4 bouts para selecionar quem vai competir contra as melhores de cada região no dia de hoje, e a partir daí, as vencedoras de cada bout competem por um lugar na final. Pra entender mais, é só olhar na tabelinha aqui embaixo, já com os resultados dos bouts de ontem!

Big 5

Hoje os jogos começam logo mais: às 14h30 (horário de Brasília).  O primeiro bout das quartas de final vai ser das Texas RollerGirls contra Minnesota Roller Girls, que jogaram ontem e lutam por uma vaga na semi-final. Mas o bout mais esperado do dia (pelo menos por nós!) é o  das 16h15: a liga nova-iorquina Gotham Girls Roller Derby (em que uma das jogadoras é nossa coach do Team Brasil, aliás, a OMG WTF!) vai competir contra uma das favoritas do oeste, as Rocky Mountain Rollergirls!

Depois desse jogão, mais um bout para mais uma vaga na semi-final que acontece hoje mais tarde: Windy City Rollers, favoritas do centro-norte, jogam contra as que venceram ontem, as meninas do Kansas City Roller Warriors, que tentam seguir seu caminho pelos tijolos amarelos até a semi.

Mais tarde, às 19h45, o “derby-mom” team das Oly Rollers vem brigar pela sua vaga nas semi-finais contra as Philly Rollergirls, e esse é mais um jogo que você não pode perder!

As vencedoras destes quatro primeiros jogos competem ainda hoje na semi-final! O primeiro jogo da semi começa às 22h30 e o segundo começa às 00h15!

Quer assistir? Você pode ver ao vivo pelo live-streaming da WFTDA aqui neste link, e pode pagar US$30 pra assistir a versão HD dos bouts ao vivo e ainda ter acesso aos arquivos por mais 90 dias. Olha a imagem e vê se vale a pena!

Finalzinho de bout ontem: Kansas City vs Rose City Rollers empatados faltando 2:34 no relógio!

E aí? Vai perder? A gente não perde por nada!

 

8º (e último!) motivo pelo qual você NÃO deveria fazer roller derby!

E chegou a hora que todos aguardavam! O último motivo pelo qual você não deveria fazer roller derby! Pega essa!

Você não pode se dar ao luxo de se machucar. Infelizmente, contusões acontecem, e quando elas acontecem, elas podem ser bem caras. Se você tem um trabalho físico (construtora, babá, massagista), uma contusão pode tornar impossível trabalhar por alguns dias, ou semanas, ou até mesmo alguns meses. E mesmo que você tenha um bom seguro saúde, muita coisa não é coberta – plano de saúde, bandagens, muletas, fisioterapia, acupuntura, etc. Se você não tem seguro, você pode acabar devendo milhares de dólares até por uma pequena contusão. Quebra meu coração incluir este motivo, mas é verdade. Se você não tem grana pra se machucar, você não deveria jogar roller derby. 

Mas se nenhuma dessas coisas forem verdade, então você definitivamente DEVERIA jogar roller derby. É difícil, e ocupa muito o seu tempo, e às vezes você vai chorar de frustração,  mas você também vai passar o seu tempo fazendo uma coisa super divertida e recompensadora com um grupo incrível de pessoas. Depois de quatro anos jogando, eu não consigo imaginar minha vida sem roller derby.

(Em Dash, jogadora da liga de Nova York Gotham Girls Roller Derby. )

Gostaram? A gente gostou tanto que vai deixar esses 8 motivos aqui no site pra todo mundo que um dia pensar em entrar em uma liga ler, refletir e ver se esse é mesmo o esporte pra você! 🙂

7º motivo pelo qual você NÃO deveria fazer roller derby!

Estamos na reta final, este é o 7º motivo pelo qual você não deveria fazer roller derby! Amanhã postaremos o último, e por hoje…segura o penúltimo:

  1. Você não aceita criticas. Se você é nova no derby, tem MUITA coisa que você não vai saber. Não é um esporte que a gente cresceu convivendo, então mesmo que você tenha um histórico de patinação ou de esportes em equipe, ainda vai ter um monte de coisas sobre regras e técnicas que você vai ter que aprender. E tudo bem! É uma das coisas que eu mais gosto sobre o esporte – sentir constantemente que eu estou aprendendo e crescendo. Mas parte do processo de aprendizagem é saber como aceitar feedbacks – mesmo que eles sejam negativos – com graça, e como usar esse feedback para ser melhor. Às vezes você vai receber conselhos ruins, e tudo bem também. Todo mundo ainda tá aprendendo a jogar o esporte, e pessoas diferentes tem estilos diferentes. Uma coisa que funciona pra você pode não funcionar pra outra pessoa. Mas mantenha a mente aberta, tente tudo pelo menos uma vez, e sempre se lembre de dizer obrigada quando alguém te dá um conselho.
Exatamente pelo roller derby ser um esporte novo, não há, aqui no Brasil, uma “autoridade”, alguém que possa chegar no treino e dar conselhos profissionais. As Rebels aprendem umas com as outras; algumas meninas se interessam mais por regra, outras se interessam pela patinação, por bloqueios, técnicas de jamming, etc… aprendemos todas juntas, ninguém acha que é mais que ninguém porque patina há mais tempo ou porque sabe mais regras ou porque é mais rápida.
O que queremos dizer é que dentro de uma liga, o mais legal (e o que mais empolga as meninas) é o fato de que todas podem ensinar e aprender, cada uma com o que sabe. Não é legal ter a presença de alguém que sabe patinar muito bem mas acha que já sabe tudo (ou que sabe mais que as outras), já que, pelo fato do roller derby não ser popularmente praticado aqui, essa pessoa não vai saber tudo o que há pra fazer no jogo (até a posição em que se patina é diferente da artística ou de quem veio do inline!). Agora, se a menina pensa que sabe muito mais do que todo mundo, você acha que a tendência dela é receber conselhos e feedback de quem ela considera ser “inferior”?! Hmmm…achamos que não.
Para fazer roller derby você tem que estar disposta a aceitar críticas (todas construtivas) para melhorar sua patinação, técnica, etc… há sempre algo que pode ser aperfeiçoado. 😉 E aí, acha que você encara a crîtica?

6º motivo pelo qual você NÃO deveria fazer roller derby!

Chegou a hora do 6º motivo pelo qual você NÃO deveria fazer roller derby! Tem bastante a ver com o anterior, se você não leu ainda, corre lá! Se já leu, aqui vai!

  1. Você tem uma atitude péssima. Isto é parte de todo o lance de “saber jogar em equipe”, mas nada destrói um time mais rapidamente do que outra jogadora resmungando no banco, xingando os refs, ou só patinando por aí com uma nuvenzinha cinza sobre a cabeça. Isto não quer dizer que você não pode ter um dia ruim ou se frustrar – todos nós temos dias ruins. Mas se você não consegue  deixar isso de lado e se aproximar do esporte com uma atitude positiva, você vai estragar a moral do seu time. As suas companheiras de time estão tentando muito aprender e jogar o esporte – não as distraia com sua negatividade.

Como qualquer esporte, há uma hierarquia no roller derby. Se você treina com a gente, vai ter que respeitar todas as jogadoras, staff e, principalmente, respeitar a Coach na hora do treino. O que é estabelecido por ela tem que ser feito e pronto, afinal, é ela quem sabe o que cada um tem que melhorar para a equipe ficar mais forte. Dizemos então, que respeitar a Coach e não ter “bad attitude” na pista é fundamental.

Outra coisa que vale a pena ser mencionada é que se você teve um dia ruim ou é frustrado no trabalho, não pense que você vai chegar na pista e pisar em todo mundo (literalmente falando). Só porque você pratica um esporte de contato, não quer dizer que você vai poder partir pra cima de todo mundo, muito menos faltar com respeito com qualquer integrante da liga.

É isso. Nós da Gray City valorizamos muito o respeito; portanto, se você quer fazer parte da nossa liga, terá que se dispor a cumprir algumas regras e respeitar pessoas que você ainda não conhece direito, mas que te acolherão super bem. 😉

5º motivo pelo qual você NÃO deveria fazer roller derby!

Você já leu os últimos 4 motivos pelos quais você não deveria fazer roller derby, de acordo com a Em Dash? Então segura o 5º, rapá!

  1. Você não sabe jogar em equipe. O roller derby é extremamente cooperativo, e um time de jogadoras mais ou menos boas que estão totalmente sincronizadas e trabalham bem juntas normalmente irão vencer um time de patinadoras sensacionais que são lobas solitárias. Você pode ser uma estrela no derby, mas normalmente, são suas companheiras de time que te ajudam a brilhar.

É, todo mundo quer ser jammer pensando que vai ser o centro das atenções, que sem ela o time não marca ponto e, claro, pra quem assistiu “Whip it”, muitas meninas pensam que queriam ser como a Bliss. Calma, gente, não é bem assim!

Foto por Sean Hale

O roller derby é um esporte em equipe, e ninguém brilha sem suas companheiras. O que seria de uma jammer excelente se ela não tivesse suas bloqueios pra ajudar a limpar a track pra ela passar? E o que seria das blockers que adoram dar hits animais se a sua jammer não conseguisse se aproveitar disso pra passar? Cada um, em sua indivualidade, deve conseguir trabalhar em equipe para que seu time seja forte. Quanto mais você conhece seu time e suas companheiras, melhor vai ser o trabalho de vocês na pista.

Se você não curte esporte em equipe e não tem paciência pra trabalhar em grupo, tenta tênis, natação, golfe… Sei lá. Mas roller derby, sinto-lhe dizer, não vai ser pra você.